Maternidade

Bater ensina sim! Mas o quê?

bater ensina

Quando engravidei, e acho que até antes disso, decidi que jamais bateria na minha filha. Eu apanhei na infância, era normal nos anos oitenta, acho que são poucas as crianças que não apanhavam naquele tempo.

Acredito que não apanhava muito pois era uma criança muito tímida e não era de aprontar, mas me lembro que na minha cabeça de criança eu sentia como se minha mãe me batesse o tempo todo. Era uma criança assustada, derramava refrigerante e já começava a chorar.Por isso sei que bater não ensina ninguém, só amedronta.

Pois bem, minha filha nasceu e eu descobri que não é nada fácil educar uma criança, e entendi porque muitas mães acabam batendo em seus filhos, mas mesmo assim segui firme e forte com minha decisão.

Minha criança chegou então a fase em que está agora, alguns a chamam de “Terríveis dois”, “Adolescência do bebê”… e por aí vai. É realmente difícil lidar com a criança nessa fase. Perguntei para minha mãe se ela se lembrava como eu era nessa fase, e ela me respondeu que eu sempre fui boazinha! Só que eu sei, que eu não era “boazinha”, eu era medrosa! Eu tinha medo de apanhar!

E não, isso não foi bom pra mim. Não me tornei uma pessoa melhor porque apanhei e assim virei uma cidadã de bem, me tornei uma pessoa boa devido os exemplos e valores da minha família, o fato de eu ter apanhado só fez com que eu me tornasse uma pessoa medrosa, fazendo com que eu tivesse que superar muitos obstáculos para me tornar uma pessoa emocionalmente saudável.

Alguns podem pensar que também apanharam e não são medrosos, pois cada pessoa é diferente e reage de forma diferente às intempéries da vida. Mas você não sabe como será a resistência do seu filho, ele pode ser diferente de você e se afetar com “uns tapinhas”, nós não podemos prever, então pra quê arriscar? Se podemos formar pessoas com amor e não com violência por que não fazer?

Eu sei que bater ensina sim, ensina você a ter medo da vida, ensina que o mundo é violento, e que se você não agir do jeito que as pessoas querem, você vai apanhar!

Ensina que a sua individualidade é inaceitável, que você não pode contrariar, que não pode ter sua própria opinião, que deve ser submisso ao mais forte sempre!

Ensina que se você está nervoso, pode descontar em alguém mais fraco que você, pois é através da violência que você vai resolver seus problemas.

Por isso eu decidi que quero ensinar para minha filha, que ela pode sim me contrariar, que ela é diferente de mim, que ela é um ser único e deve ter suas vontades e opiniões, claro que sempre oferecendo os limites necessários para seu bem estar e da sociedade, mas nunca vou agredi-la!

Não é preciso bater para ensinar, essa fase em que ela está é crucial para seu crescimento como ser humano, ela está começando a se entender, entender seus sentimentos, e não é batendo nela que vou ensinar a lidar com a frustração, assim só vou estar mostrando que eu mesma não sei lidar com a frustração dela não me obedecer. (Aliás, aprendi a lidar com a frustração desse jeito com a minha mãe, não é mesmo?)

Não sei se estou me fazendo entender, mas o fato é que, nunca bati em minha filha (já tive vontade sim), e sei que nunca vou fazer isso. Por mais que perca a paciência as vezes (nenhuma mãe é perfeita), eu escolhi educar uma pessoa forte e de personalidade, livre para fazer suas escolhas, seja elas quais forem, e estarei por perto para ajudar e para limitar quando for preciso.

E vocês? O que acham desse assunto tão polêmico? Pelo amor ou pela dor?

 

Se gostou desse post, use os botões aí embaixo para compartilhar com seus amigos nas redes sociais, ou deixe um comentário. A Cotia agradece!

 

 

 

 

Anúncios

15 comentários em “Bater ensina sim! Mas o quê?

  1. Obrigada pelo relato Pamela, a violência marca muito a criança, e acabamos por reproduzi-la em outras situações da vida. O que as pessoas precisam entender é que é possível educar sem bater! Bjs

    Curtir

  2. Muito bom o texto, até que ponto bater ensina e ensina o que?
    Eu apanhei acho que duas vezes na minha vida, um tapa na mão e um tapa forte no meio da rua na boca na época da aborrecência porque chamei minha mãe de bruxa e xinguei. hahaha
    O medo de apanhar te prende mesmo, lembro que com o meu pai ele só olhava de cara feia e eu morria de medo. E sim derramava sucos, refrigerantes no tapete e no armário da tv, mas não cheguei a apanhar por isso na verdade quase não lembro. As minhas broncas e caras feias eram por pegar bala do chão mesmo ela estando embalada, ou por cair. Eu cai da escada da minha avó e abri a boca e acredita que meu pai foi brigando e gritando comigo até o hospital, isso eu tinha sei lá 6/7 anos. Acho que sei lá criança tem que ser criança e a gente só deve “puxar as orelhas” quando necessário. Eu cresci muito tímida e com medo de fazer as coisas e isso só por pressão, imagina se eu apanhasse? :O
    Beijos!

    Blog Pam Lepletier

    Curtido por 1 pessoa

  3. Eu não sou mãe mas vou comentar. Acho que apanhei da minha mãe na vida 2 vezes e do meu pai nunca apanhei, e não julgo aqueles pais que acabam dando uns tapas nos filhos, mas fico triste em presenciar caso de crianças que já estão tão acostumadas a apanhar, que choram por tudo mesmo.

    Eu fui uma criança de personalidade forte, mas também fui medrosa, certinha mesmo não apanhando. Eu tinha um medo/respeito do meu pai, que uma palavra dele já bastava, sendo que ele nunca encostou a mão em mim, porque ele era duro nas suas decisões.

    Acho que os tapas são extremos do ser humano que está educando para aquele que está sendo educado.

    Abraços

    http://www.hipermetropiafashion.com.br

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s