Maternidade

Como é que se dá limite aos filhos

Acho que finalmente entendi o que é dar limite aos filhos. Sempre se fala essa frase, mas ela acaba ficando meio vaga, e algumas pessoas acabam acreditando que dar limite aos filhos seja brigar por tudo, exigir que seus filhos sejam 100% certinhos e obedientes.

Depois de ler muitos textos, muitos blogs, assistir muitas palestras e ler vários livros, finalmente cheguei a conclusão de como se dá limite aos filhos!

Estou aqui para dividir isso com vocês, e acreditem, sua vida vai mudar.

Sempre fui muito preocupada em não traumatizar a minha filha, então percebo que desde que ela nasceu tenho dificuldade em lidar com o choro dela. Até que uma pediatra uma vez me disse, simplesmente pare de se preocupar com o choro da sua filha e ela vai parar de chorar tanto. Dito e feito. Disse pra mim mesma, essa é única forma dela se comunicar, ou eu preferia que ela fosse muda?

Percebo que muitos pais tem dificuldade de lidar com o choro de seus filhos, não suportam ver seus filhos chorarem ou sofrerem. Por isso acabam fazendo tudo o que as crianças querem, sem saber que assim estarão prejudicando ainda mais seu futuro e não poupando-os do sofrimento.

Também existem aqueles que querem compensar, por se sentirem culpados, ou ainda os que simplesmente não querem ter trabalho de lidar com o choro e o chilique dos pequenos.

Mas perceba que tudo envolve a capacidade dos pais de aguentar, suportar o choro de seu filho.

limites

Winnicott, famoso pediatra e psicanalista, dizia que a mãe não precisa ser perfeita, mas suficientemente boa. O que ele quis dizer com isso? Que a mãe precisa ter estrutura emocional para suportar o descontrole emocional da sua cria, e se ela conseguir fazer isso, a criança perceberá que tem uma base forte para dali seguir, entenderá que suas forças destrutivas não destruíram seu bem mais precioso, seu cuidador, então ele pode seguir sua vida sabendo que é uma pessoa íntegra.

Um pouco complicado né? Mas agora vou deixar mais fácil.

Para dar limites ao seu filho, precisa deixar que ele chore, não estou falando de ignorar o choro e ser indiferente, mas de não tentar poupar que seu filho chore. Ele precisa passar pelo processo da perda, do luto do prazer, para aprender a lidar com a frustração, e para fazer isso, vai chorar, vai berrar, vai espernear, e depois vai se acalmar e processar que nesse momento foi imposto um limite.

Portanto para dar limite ao seu filho, não precisa dizer “não pode” para tudo, ou brigar com ele o tempo todo, não deixando a criança desenvolver sua personalidade, você só precisa dizer não quando for necessário.

Seu filho quer comer chocolate antes do almoço, simplesmente diga não, se ele perguntar “por que?” Responda:” Porque eu não quero!” E pronto. Sim, ele vai chorar, vai gritar, vai dar aquele show que você já conhece, mas depois ele vai se acalmar, e terá aprendido uma lição muito valiosa que valerá para toda vida.

O importante é você não ter medo desse escândalo, ou vergonha, bater (pelo amor de Deus não!) ou tentar mandá-lo engolir o choro… não, ele precisa chorar, é a forma dele lidar com aquilo. Muitas crianças podem se tornar agressivas, xingar ou jogar coisas, e nessa hora é importante dizer que isso não é apropriado. E depois que ele se acalmar (isso vai acontecer), explique a ele os sentimentos que ele teve, pois muitas vezes eles não entendem o que está acontecendo em seus coraçõezinhos.

Pode ter certeza, que depois que você tiver essa atitude algumas vezes, ele vai lidar cada vez melhor com a frustração, e as birras não serão mais tão fenomenais. E mais importante, ele estará se preparando para enfrentar a vida e ser um bom cidadão.

 

O fato de você ter consciência desse processo, de que esse choro é importante para o crescimento emocional do seu filho, vai fazer com que seja bem mais fácil impor limites e dizer não para aquilo que ele realmente não deve fazer, ou ganhar.

Outro exemplo: Seu filho está brincando na rua e já é hora de entrar, você o chama para dentro e ele não quer ir, você diz que é hora de entrar e o coloca para dentro (sempre dê chance da criança tomar a atitude sozinha primeiro), ele vai chorar, espernear, reclamar, e você não vai tentar evitar isso, vai deixar ele lidar com a frustração, até a hora que ele vai se acalmar. Não tenha medo do chilique do seu filho, ele é essencial, é nessa hora que ele está aprendendo. Não deixe de acolher também, mas nunca deixe de tomar a atitude certa com medo do seu filho fazer “birra”.

limite crianças

Ah, quero deixar uma coisa bem clara, nada disso vale quando se trata de bebês, esses precisam ter todas as suas necessidades atendidas. Eles não fazem “birra”, não “manipulam” como muitas pessoas dizem. O choro deles é uma questão de sobrevivência.

Não estou também dizendo que as crianças mais velhas fazem esse tipo de coisa, mas o choro dos maiores tem outra intenção, a de lidar com as emoções que eles não conhecem, e que são muito difíceis de controlar.

Esse texto ficou grande, e não sei se consegui ser clara.

Deixem seus comentários, me digam se compreenderam o que eu quis dizer. E se concordam, compartilhe com as mamães e cuidadores que você conhece. Pois acredito que muitos pais ainda se sentem inseguros em dar limite aos filhos.

É isso gente!

Bjs.

 

 

 

 

Anúncios

10 comentários em “Como é que se dá limite aos filhos

  1. “Seu filho quer comer chocolate antes do almoço, simplesmente diga não, se ele perguntar “por que?” Responda:” Porque eu não quero!” E pronto.”

    Sério que, depois de muito pesquisar, você concluiu que é essa a melhor forma de agir? Não faz muito mais sentido explicar o porquê de não poder comer o chocolate, ao invés de impor sua vontade de forma autoritária?

    Curtido por 1 pessoa

  2. lindo texto! lidar com as “birras” é isso mesmo, respirar fundo, esperar passar, e ensinar pra criança a dar nome àquilo que ela está sentindo. como vc falou, temos q lembrar que eles não estão manipulando a gente, nem os bebês nem as crianças. os bebês tem necessidades que precisam ser atendidas e o choro é muitas vezes a única forma de comunicação que eles têm. e as crianças estão aprendendo a lidar com o turbilhão de emoções, pensamentos, hormônios que invade seus corpinhos de repente, cabe a nós adultos, sermos ADULTOS e manter a calma, ensinar ao invés de reagir. Obrigada pelo texto!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s